Publicidade

Yukaline - Conecta você.

Relatório aponta loteamentos sem sistema de drenagem adequado e ruas sem desnível

Barra Velha -  O Conselho Municipal de Saneamento Básico apresentou dia 4, em audiência pública na Câmara de Vereadores, o diagnóstico que vai nortear a criação do Plano de Drenagem do município. O estudo técnico no valor de R$ 42 mil está sendo desenvolvido por empresa vencedora de processo licitatório e deve apontar soluções para o problema de alagamento.

Publicidade

Segundo o coordenador de Saneamento, Jair do Valle, a primeira etapa foi uma fotografia do município para que todos conheçam onde estão os problemas de drenagem. A equipe técnica apresentou um breve prognóstico com exemplos de como seria o sistema ideal para acabar com os pontos de alagamento na cidade.  A segunda audiência pública será realizada no início de novembro para ouvir as demandas da população e em seguida encaminhar a proposta para ser aprovada na Câmara de Vereadores.

- Estamos trabalhando em conjunto com a sociedade civil para elaborar esse plano e, acima de tudo, para que possamos tirá-lo do papel, diz o coordenador.

Para o Diretor da Defesa Civil, Elton Cunha, o laudo técnico vai orientar dizendo onde e como o Executivo pode gastar recurso com a garantia de que a obra vai surtir efeito. O Plano de Drenagem e Manejo das Águas Pluviais abrangerá as áreas urbanas do município e será dividido em tópicos que discutem os indicadores populacionais, sanitários e epidemiológicos, além de definir programas e ações para atendimento, ações para emergências e contingências, e outras necessidades.    

Raio-x

Um dos principais problemas identificados em Barra Velha é a criação de loteamentos com sistemas inadequados de drenagem. O engenheiro Marcelo Gonçalves, responsável pelo levantamento, diz que é comum a colocação de tubos, seguida da terraplenagem, sem verificar o nivelamento ideal que proporcionará o escoamento da água para o destino certo.

Outro ponto destacado é a necessidade de que as ruas sejam abaloadas fazendo com que as águas escoem para as sarjetas. A ausência desse desnível pode causar o acúmulo de água e danos no pavimento. Ele ainda explica que um sistema de drenagem vai além das tradicionais bocas de lobo, que já não são mais suficientes para suprir as demandas.

Bairro Itajuba é um dos mais atingidos por alagamentos na área urbana de Barra Velha (Foto: Arquivo | Expresso das Praias)

De acordo com o diagnóstico, Barra Velha tem atualmente 1.987 bocas de lobo em 180km de vias sem pavimentação e 205km com pavimentação. São 200km de galerias pluviais e ainda existem 43km de valos e valetas abertas. Outro dado que preocupa os engenheiros são referentes aos rios retificados pelo homem que somam 61,5km. Marcelo explica que a alteração do curso de rios, que naturalmente é curvilíneo, pode causar impacto direto nas cheias.

Após a elaboração do Plano Municipal de Drenagem, o município atenderá às outras áreas do saneamento: resíduos sólidos, tratamento de esgoto e água potável. 

Leia também:
Publicidade
  • 1
X

Right Click

No right click