Publicidade

Yukaline - Conecta você
Bairro concentra o maior número de empreendimentos imobiliários da cidade

Obra prevista para 2013 tem recursos assegurados junto ao Governo Federal desde 2012, mas ainda não foi executada pela Prefeitura

Piçarras - Os moradores e veranistas do bairro Itacolomi já sabem que todo começo de ano vão enfrentar um tormento com a falta d’água nos dias de maior movimento. Alguns deles ficaram do dia 31 de dezembro até 6 de janeiro sem nem uma gota nas torneiras. Mas o problema já poderia ter sido resolvido caso o município tivesse executado a obra de construção de um reservatório com capacidade para um milhão de litros, que tem recursos garantidos pelo Governo Federal desde 2012.
 
A dona de casa Maria Prado da Silva, de 59 anos, é recém chegada a Balneário Piçarras e enfrentou o problema pela primeira vez. “Começou depois do Natal e passou o primeiro do ano. Recebi um pessoal de Passo Fundo e foi um sufoco”. A família precisou se virar como pôde. “De vez em quando vinha um filete de água e a gente aproveitava para encher baldes e o tanque. Compramos vários galões de água mineral e até água da chuva usamos para fazer a limpeza da casa. Estou há quatro meses morando em Piçarras e essa foi a primeira vez que isso aconteceu”, conta. 
 
O pedreiro Edimilson Barcelos, 34 anos, lembra que a falta de água no Itacolomi é um problema frequente. “Não é só na temporada. Acontece todo o ano. De vez em quando falta água. Eu tenho uma caixa em casa de 500 litros e mesmo assim não resolve”. Barcelos já reclamou com a Casan. “Eu moro há 14 anos no Itacolomi, eu já reclamei e quem mora na minha rua também. Na última vez que faltou, eles disseram que quebrou um cano”, afirma. Sem reservatório 
 
O problema da falta de água no Itacolomi poderia ter sido resolvido caso a Prefeitura de Piçarras executasse a construção de um reservatório no bairro. O município recebeu do Governo Federal, em 2012, R$ 5,3 milhões para a obra, mas ainda não conseguiu tirar o projeto do papel. O Ministério Público Federal (MPF) chegou a abrir um inquérito civil para apurar a demora na execução do projeto. 
O gerente da Casan de Piçarras, Luiz Carlos Pereira, disse que o problema no abastecimento foi pontual e durou apenas dois dias. “Faltou água no dia 31 de dezembro e no primeiro dia do ano. A falta foi devido ao consumo excessivo, mas o abastecimento já foi normalizado”, alega. 
 
Pereira concorda que a construção do reservatório ajudaria os moradores do bairro. “Poderia ter evitado, mas a construção do reservatório é competência da Prefeitura, que não nos repassa nada a respeito do andamento das obras”.  
 
Sem explicação
 
Em nota, a Prefeitura informou que tenta solucionar o problema, mas não revelou o porquê do atraso na construção do reservatório. Em novembro de 2013, a Secretaria de Planejamento do município afirmou que as obras não tinham sido iniciadas porque a administração anterior deixou em caixa os R$5,3 milhões para o investimento, mas não viabilizou até o fim de 2012 as licenças. A previsão era de concluir a obra em 2014.
Publicidade
  • 1
  • 2
X

Right Click

No right click