Publicidade
Promenac Penha - Mais perto de você

Prefeito quer invalidar estudo para revisão do Plano Diretor elaborado pela PUC/PR e pago pelo município

Barra Velha - Está na mesa do presidente da Câmara Municipal, Alex Palmital (PSD), projeto de lei do prefeito Valter Zimmermann (PSD) para restringir a construção de imóveis geminados no município. A proposta prevê que seja adotado pelo Código de Obras uma testada mínima de sete metros para este tipo de construção. A ideia já foi apresentada em audiência pública, dia 27/02, e provocou protestos, mas ainda não tem data prevista para entrar na pauta.

Publicidade

O prefeito relaciona a expansão dos investimentos nesse tipo de moradia popular ao crescimento desordenado. Da tribuna, ele defendeu que o município precise controlar a construção de imóveis voltados para as classes C e D. Um dos primeiros passos seria aumentar a testada mínima de frente, para que apenas casas maiores passem a ser construídas.

- Não vamos proibir, mas criar critérios para que as construções sejam feitas com qualidade. Quem sabe possamos chegar ao nível de geminados de médio padrão e depois alto padrão.

Entre os principais insatisfeitos estão os representantes do setor da construção. Segundo eles, a maioria dos terrenos tem 12 metros de testada. A fixação de uma testada mínima de sete metros tornaria inviável esse tipo de construção nessas áreas.

Prefeito Valter Zimmermann defende que construções geminadas sejam contidas em todo o município (Foto: Alan Willian)

Para Anamélia Alcântara dos Santos, presidente da Associação dos Arquitetos, Engenheiros Agrônomos e Técnicos, a discussão levantada no município tem sido feita de maneira errada. Para ela, não há como se comprovar a necessidade da mudança sem que se apresente um estudo técnico que a recomende. Ela também contesta os argumentos favoráveis à mudança:

- É comprovado que a testada não interfere no padrão de construção. O que vai dizer se ela é de baixo ou alto padrão é a localização e a arquitetura.

Prédios na orla

Como determina o Estatuto das Cidades, assuntos como esse deveriam estar sendo amplamente debatidos e divulgados por meio da revisão do Plano Diretor, do qual o Código de Obras faz parte. O plano começou a ser revisado a partir de um estudo elaborado pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. De acordo com Edson Hagemann, membro do colegiado, o diagnóstico com as sugestões de mudanças está concluído. No entanto, a atual gestão estuda a contratação de uma nova empresa.

- O diagnóstico está pronto e foi pago com recursos públicos. Por que a prefeitura vai ignorar e começar do zero? - questiona.

Nos bastidores, se comenta que a intenção é direcionar as mudanças para liberar a construção de grandes prédios na orla. A ideia já foi defendida abertamente pela atual gestão.

Leia também:

Blog da Redação | Velhas prioridades para um novo ano

Prefeito se antecipa à revisão do Plano Diretor e propõe aumento na altura máxima de prédios

Prefeitura cancela oficinas comunitárias de revisão do plano diretor

Publicidade
  • 1
  • 2
Publicidade
Rádio Pérola FM
X

Right Click

No right click