fbpx
Maioria dos diretórios municipais fechou com um único candidato para cada cargo, mas nem todos chegaram a um consenso

Piçarras - No próximo dia 07 de outubro, 13.732 eleitores do município vão às urnas de 51 sessões distribuídas em nove locais de votação. Além de presidente, governador e dois, dos três senadores do estado, ainda serão escolhidos deputado federal e estadual. Para esses dois últimos cargos legislativos, a campanha em Santa Catarina envolve 251 e 469 nomes respectivamente. Em meio tantos nomes, partidos, regiões e pautas de atuação distintas, o Expresso das Praias leventou quais nomes recebem apoio das lideranças locais.

Assim como em 2014, a maior parte dos candidatos apoiados é de outras regiões. Na eleição anterior, os votos foram destinados para 104 candidatos a Deputado Federal e 215 Deputados Estaduais.

No principal partido governista local, o da Social Democracia Brasileira (PSDB), o vereador Paulo Coral está na disputa por uma vaga na Câmara Federal, mas o apoio oficial do diretório é para Marco Tebaldi, que foi o mais votado na cidade em 2014, com 1.369 votos. Para o cargo estadual os tucanos liderados pelo prefeito Leonel Martins vão com Vicente Caroprezo, segundo mais votado na eleição anterior. De acordo com o vereador e presidente do PSDB, Maurino Cunha, o partido não poderia fechar as portas para aqueles que já vêm ajudando Piçarras desde 2013.

“O Paulo é um jovem promissor, ainda tem muito chão pela frente”. Como tem o candidato a vice-governador (Napoleão Bernardes), o candidato a governador do PSDB é Mauro Mariani (PMDB).

Na oposição, o Progressistas (PP), do vereador Gercino Medeiros está fechado com Gelson Merísio (PSD) para governador. Para deputado estadual, o partido vai com Silvio Dreveck e o estreante Nilson, ex-prefeito de Presidente Getúlio, como federal.

“Essas são as pessoas que já ajudaram e continuarão a ajudar Balneário Piçarras”, afirmou o ex-prefeito Umberto Teixeira em vídeo que circula nas redes sociais.

O Partido dos Trabalhadores (PT), presidido por Ricardo Pilati, faz campanha para Ana Paula Lima, para deputada federal, e para Paulo Eccel para a vaga na Assembleia Legislativa. “São dois candidatos do Vale do Itajaí que podem contribuir de forma grandiosa com nossa cidade,” afirma Pilati, que também está engajado na campanha de Décio Lima para governador.

PSD e MDB divididos

O candidato a deputado estadual mais votado no município em 2014 foiDarci de Matos, que agora concorre à Câmara Federal e tem o apoio de parte do diretório do Partido Social Democrata (PSD). Ele será o candidato apoiado pelo vereador Antonio Pedro, mas uma ala do partido também deve apoiar César Souza Júnior. Para deputado estadual o apoio está fechado para Jean Kuhlmann, que fez 518 votos em Balneário Piçarras na última eleição.

O Movimento Democrático Brasileiro (MDB), do vereador Antônio Pêra, também não está fechado em torno de um único nome para deputado federal. Mobilizado em torno da campanha de Mauro Mariani para governador, o diretório está dividido entre Carlos Chiodini e Valdir Colatto. Já o ex-chefão da Casan, Valter Gallina, recebe o apoio do vereador Pêra para deputado estadual.

2018_10_02_20h30_politica_picarras_candidatos_camara_divulgacao.jpg
Plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília, onde as leis, políticas públicas, contas e o orçamento são debatidos

A indicação feita por políticos locais ainda é fundamental para a grande maioria das candidaturas proposcionais (deputados e senadores). São eles que, além de fazerem as leis, também deve aprovar os orçamentos e prestações de contas dos governantes.

“É uma eleição diferente, a gente não tem contato e nem conhece os candidatos, então se o nosso representante daqui pede o voto a gente vota”, reconhece a balconista Angélica Pedroso, de 27 anos. Da última eleição, ela diz que lembra apenas em quem votou para presidente.

Mas há quem prefira se ausentar desse compromisso:

“É um desaforo eu ter que sair de casa pra votar nessa turma que tem sempre o mesmo discurso e não muda nada”, diz o mecânico Robson Soares, 31, que pretende votar apenas para presidente e anular o restante.

Em 2014, o índice de ausentes foi de 23%. Estes deverão pagar uma pequena multa posteriormente.

* ESPECIAL PARA O EXPRESSO DAS PRAIAS
EDIÇÃO: LEANDRO CARDOZO DE SOUZA
 
  • 1
  • 2
X

Right Click

No right click