Publicidade

Yukaline - Conecta você

Segundo a PM, unidade na região norte conta com dois agentes e atende à política nacional de policiamento comunitário

Piçarras - A Polícia Militar começou a operar no posto policial localizado no Bairro Itacolomi. O ponto havia sido desativado após a queda no efetivo e diversas ações de vandalismo que tornavam o atendimento precário. Com a reabertura da base, no fim de março, a comunidade do norte poderá registrar boletins de ocorrência e solicitar informações. A principal ideia é funcionar nos moldes da Koban, um sistema de policiamento japonês. A primeira operação de combate à criminalidade na região norte foi realizada na semana passada.

Publicidade

O posto do bairro Itacolomi funcionará com três policiais atendendo das 13h às 19h e uma viatura exclusiva para o norte da cidade. Além do posto policial Koban, uma guarnição da Polícia Militar realizará consultorias de prevenção a crimes em comércios e residências.

Durante a consultoria, são avaliados diversos critérios técnicos de segurança, como: procedimentos, estrutura física, iluminação pública, dentre outros. Ao final da consultoria, é emitido um parecer técnico, o qual é encaminhado de imediato ao e-mail do proprietário, contendo sugestões e dicas de segurança.

Segundo o Tenente da Polícia Militar, João Gabriel de Moura Iglesias, a inserção da metodologia de polícia comunitária nas políticas públicas de segurança estaduais é orientada pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), como ferramenta de prevenção da criminalidade e violência.

- Este modelo de policiamento visa à participação social, envolvendo a comunidade na busca de mais segurança. Um dos primeiros passos foi a implantação do programa Rede de Vizinhos, uma estratégia de prevenção ao crime unindo moradores e comerciantes em parceria com a PM em busca de um bem comum.

Operação policial conjunta combate criminalidade nas cidades da região

A Polícia Militar deflagrou no feriado de Páscoa a operação denominada Ubique nas cidades de Penha, Balneário Piçarras e Luís Alves. A força-tarefa levou para as ruas aproximadamente 60 soldados e contou com o apoio do Pelotão de Patrulhamento Tático de Itajaí e policiais da ROCAM. A operação durou cinco horas em cada município e abordou mais de 150 pessoas em "atitude suspeita".

Leia também: Polícia prende membros de facção criminosa em comunidade do bairro Itacolomi

De acordo com o Tenente João Gabriel Iglesias, a ideia da operação, assim como o nome que significa “em todo lugar”, era de passar a sensação de segurança para a comunidade e visitantes. Foram realizadas rondas de varredura pelos bairros e barreiras de abordagens com o intuito de coibir o crime organizado.

A operação faz parte de um conjunto de medidas de segurança implementadas pelo Comando Regional da Polícia Militar e está sendo promovida em todas as cidades. Ainda nessa semana foi a vez de Itajaí e Balneário Camboriú receberem a força-tarefa. Além das abordagens, dois homens foram presos e veículos, apreendidos.

 

Leia também:

Detento em saída temporária da UPA assume autoria de assalto que chocou comunidade

Números apontam aumento de criminalidade durante Operação Veraneio

 

 

Publicidade
  • 1
  • 2
X

Right Click

No right click